Buscar

Atualizado: 13 de Jul de 2018

...é o turismo em Terras Indígenas ou etnoturismo, onde os turistas conhecem de perto a vida, os costumes e a cultura dos povos indígenas.

No ano passado o estado de Mato Grosso lançou seu primeiro roteiro indígina, Rota Parecis.

O tour leva a três aldeias da etnia Paresi-Haliti: Wazare, Quatro Cachoeiras e Utiariti, onde é possível vivenciar o dia a dia dos índios, comprar artesanato, provar bebidas típicas, apreciar as belezas naturais e para os aventureiros, tem várias opções de esporte. Para fazer o roteiro é preciso contratar uma agência de turismo receptivo do estado.


A aldeia Wazare que é a primeira parada do tour, é uma aldeia nova criada em 2011 pelo cacique Rony Azoinace, que morava antes na aldeia de seu avós, foi desenvolvida para ser um atrativo turístico, ideia que surgiu no período que o cacique cursava a universidade.

A recepção é feita pela comunidade indígena, com músicas e danças para dar as boas vindas e proteger os visitantes.


A segunda aldeia visitada é a Quatro Cachoeiras, é comandada pelo cacique Narcizo Kazaizase, um dos mais respeitados do povo Paresi.

Além das conversas com os índios e as apresentações de dança, somos agraciados a visita às cachoeiras que dão nome à aldeia, onde os mais corajosos podem tomar um banho bem refrescante.


Já na aldeia Utiariti, que está bastante descaracterizada, o ponto alto é o Salto Utiariti, com 98 metros onde os aventureiros podem praticar o rapel. Vai encarar?

Mas para quem prefere apenas relaxar, a dica são os poções formado na parte superior da queda, onde é permitido o banho. Os poços são banheiras de hidromassagem naturais que permite uma vista fantástica e de brinde ganham os um belo arco-íris ao fundo…Experiência única!


Informações: Secretaria de Turismo (65-3382-3986)



Tags: agência de turismo, aldeia, arco-íris, artesanato, Aventura, beleza natural, cachoeira, cacique, dança, esporte, etnia, etnoturismo, índios, Mato Grosso, música, Paresi, Paresi-Haliti, rapel, roteiro turístico, terras indígenas, tradição, turismo, turismo indígena, Utiariti, Wazare

  • Renata Sartorio

Por se tratar de um segmento ainda jovem, muitas pessoas não sabem ao certo o que é turismo de aventura. Em certos casos, até interpretam essa atividade como algo perigoso, que envolve risco daqueles que o praticam.



Mas, na verdade, uma atividade de aventura é basicamente uma experiência física e sensorial recreativa que envolve desafio, porém com riscos avaliados, controláveis e assumidos. E que, além disso, proporciona sensações incríveis, como liberdade, superação e prazer.


Se a ideia é combinar suas próximas férias com muita adrenalina, uma excelente opção é Brotas, considerada a capital do turismo de aventura. São diversos passeios em contato direto com a natureza, destacando-se o rafting, tirolesas, arborismos e outros esportes radicais.


Localizada a aproximadamente 250 Km da capital do estado, as rodovias são seguras e duplicadas, resultando em uma viagem de 2 horas e meia por diversas belas paisagens do interior paulista.


Destacada pelo Portal Terra como uma das 10 maravilhas do Brasil, você encontrará diversos pontos turísticos, cachoeiras, agências e operadoras de turismo e inúmeras opções de hospedagem para todos os perfis.


A cidade de Brotas oferece também opções de ecoturismo, passeios leves, culturais e diversos eventos.

Antigos sítios turísticos e atrativos da cidade se transformaram em verdadeiros parques, com estrutura de lazer e apoio, passeios e atividades de aventura realizadas no próprio local.


Algumas das atividades de aventura mais procuradas de Brotas, como o Rafting e o Bóia Cross, também tem suas versões para a criançada, mais leve para que possam aproveitar o Rio Jacaré Pepira com segurança e muita diversão.


Muitos não sabem, mas Brotas tem o melhor centros de astronomia e estudos do Brasil.

Localizado no Brotas Eco Resort o CEU, onde toda a família pode aprender no Planetário sobre e ver as estrelas e planetas, além de visitar um parque geológico com várias demonstrações das formações de nosso planeta.


Vale a pena conferir essa dica de turismo de aventur


Tags : . atividade, adrenalina, arborismo, astronomia, Bóia Cross, Brasil, Brotas, cachoeira, criança, desafio, diversão, ecoturismo, esportes radicais, estrelas, geológico, hospedagem, interior paulista, lazer, liberdade, natureza, paissagem, parque ecológico, passeio, perigo, planetário, planetas, prazer. férias, rafting, recreação, risco, rodovia, São Paulo, Segurança, sensações, superação, tirolesa, turismo, turismo de aventura, viagem

  • Renata Sartorio

Atualizado: 3 de Jul de 2018

Se o dia a dia de uma pessoa com deficiência e mobilidade reduzida, não é nada fácil, o turismo de aventura em suas vidas seria algo impensável: a prática de esportes radicais.


Mas felizmente eu pude constatar através das minhas viagens pelo Brasil, que mesmo lentamente, esse cenário começa a mudar. As empresas de Turismo e algumas cidades começam a desenvolver atividades para esse publico até então esquecido.


Vou citar como exemplo a cidade de Socorro, estância hidromineral localizada a 134 km de São Paulo e que integra o circuito das águas paulista, referência em turismo de aventura no estado, que através do Projeto Socorro Destino Referência em Turismo Especial, têm investido muito no desenvolvimento e adaptação das atividades para o turista com deficiência ou mobilidade reduzida.


Tive a oportunidade de utilizar a cadeira adaptada na tirolesa, e realmente é

muito seguro e confortável, um objeto simples que pode fazer a diferença na vida de algumas pessoas.


Muito emocionada, durante a gravação desta pauta, ouvi o relato de um pai de uma garota com deficiência física, que dividia sua emoção em ver pela primeira vez na vida, sua garotinha radiante, participando de atividades que antes seriam impossíveis.

Com os olhos marejados esse pai, narrava às dificuldades que enfrentava para encontrar roteiros turísticos compatíveis com a necessidade de sua família.


Segundo a Comissão de Acessibilidade de Socorro, o município recebeu a missão de tornar-se o primeiro destino turístico acessível. Para desenvolver esse trabalho a cidade investiu em transporte, banheiros e brinquedos públicos adaptados, bem como rampas e vagas demarcadas por toda cidade.

Além disso investiram em treinamentos de profissionais para atender pessoas com deficiência. Cada público é atendido de acordo com suas necessidades. Além disso, os pontos turísticos do centro histórico são interligados por um piso tátil e os semáforos foram adaptados com recursos sonoros, para atender a pessoas com deficiência visual.


Foi muito gratificante conferir o empenho de todos da cidade, para oferecer

essa inclusão em seus roteiros turísticos, termino torcendo para todo o país

ser acessível universalmente.


O selo testado e aprovado vai hj para

http://www.campodossonhos.com.br/aventuras/tirolesa/


© 2018 Todos os direitos reservados a Renata Sartorio.

Desenvolvido por: